quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A Feira de S. Mateus ou Feiras das Nozes, em Arnelas


Recorte do jornal “O Comércio de Gaia”, de 19.09.1955, p. 28


Imagem de S. Mateus, na capela de S. Mateus, de Arnelas



O largo onde se realiza a Feira das Nozes, em Arnelas



Local: Arnelas, Olival, Vila Nova de Gaia
Data: 21 de Setembro (dia de S. Mateus)
Sinopse:A feira de S. Mateus, ou Feira das Nozes, realiza-se na povoação gaiense de Arnelas, da freguesia de Olival, no dia 21 de Setembro, dia consagrado no calendário religioso a S. Mateus. O nome por que ficou popularmente conhecida esta feira deriva do facto de o produto mais transaccionado ser aquele fruto, embora a nogueira não seja árvore muito frequente na região. Em tempos era ali que os comerciantes da praça do Porto se abasteciam daquele fruto seco e os preços praticados constituíam uma referência no mercado regional da noz.
Esta feira terá sido criada por D. João V, a pedido das populações, sendo certo que em 1758, como consta nas Memórias Paroquiais, já se realizava “a feira de Sam Mateus que dura quinze dias e às vezes mais, finda em o dia do Santo, todos os que nela vendem pagam de assento vinte reis a o senhor da Quinta do Paço que está no mesmo lugar”.
A importância da povoação de Arnelas, no passado, adveio da sua localização geográfica, junto ao rio Douro, em frente à foz do Rio Sousa, tendo boas condições naturais para a ancoragem dos barcos. Por aqui passavam os barcos rabelos que, na descida do Douro, transportavam os cascos de vinho destinado ao abastecimento da região da Vila da Feira e da cidade do Porto. Na viagem de retorno os rabelos levavam o sal, destinado às regiões da Beira-Douro e transmontana e que aqui chegava transportado em carros de bois, desde Ovar.
Da importância do entreposto de Arnelas nos dá conta o Padre Luís Cardoso, em 1747, fazendo igualmente referência ao facto de os moradores, a pretexto da pequenez da capela local, já centenária, terem solicitado ao rei D. João V provisão para ser lançado um imposto de um real em cada quartilho de vinho e em cada rasa de sal que se vendesse no então couto de Crestuma para reedificar e ampliar a dita capela, cuja primeira pedra foi lançada em 20 de Outubro de 1723. Trata-se da capela de invocação a S. Mateus que ainda hoje podemos admirar, em lugar altaneiro, da povoação de Arnelas. As suas linhas arquitectónicas não merecem lugar de destaque; ao invés, possui no seu interior riquíssimo retábulos em talha dourada, de estilo joanino, executados pelo importante entalhador portuense Manuel da Costa Andrade. No retábulo-mor sobressai, ao centro, a imagem de Cristo Crucificado, designado por Senhor do Triunfo, do século XVIII, ladeada pelas imagens de S. Mateus Evangelista que é o titular da capela, do séc. XVIII, e do santo dominicano S. Tomás de Aquino.
Em termos iconográficos, S. Mateus apóstolo e ex-recebedor de impostos, aparece representado com manto avermelhado e túnica talar, de cor esverdeada. Como é evangelista segura uma pluma, na mão direita, e um livro, na mão esquerda, tendo, ainda, aos pés um anjo que segura o tinteiro.
Na actualidade
Presentemente esta feira continua a realizar-se, no mesmo dia 21 de Setembro, embora algumas das nozes vendidas sejam provavelmente importadas e os preços já não têm um valor-padrão. Existem barracas que vendem todo o género de coisas, nomeadamente plásticos, artefactos agrícolas, regueifa doce, etc. Esta feira não pode ser dissociada de outra feira que se realiza no fronteiro lugar de S. Cosme de Gondomar, sito na margem direita do rio Douro, a qual tem lugar no primeiro fim de Outubro, no decurso dos festejos a Nossa Senhora do Rosário, considerada a última romaria do ano e que é igualmente conhecido como Feira das Nozes. A uma e outra festa, realizadas no espaço de cerca de duas semanas, acorre o povo de ambas as margens do Douro, bebendo o mosto da uva, aqui chamado de vinho doce, o qual, como manda a tradição, é acompanhado de regueifa e nozes.
Remissivas:
. Arnelas, porto fluvial e entreposto.
. Festa de Nª Sª do Rosário de Gondomar e Feiras das Nozes (8 de Outubro).
. Quinta do Paço, dos Condes da Feira.
. Festas do Senhor do Triunfo.
. Capela de S. Mateus.

Bibliografia:. AFONSO, José Ferrão; Arnelas: um porto muito especial, In: O Tripeiro. - Porto: Associação Comercial do Porto, 2005. - Ano XXIV, 7.ª Série, n.º 5 (Maio, 2005). - p. 132-135: 2 il.

. BRANDÃO, Domingos de Pinho, 1920-1988; A talha dourada da capela de Arnelas, freguesia do Olival - Vila Nova de Gaia, Vila Nova de Gaia, Gabinete de História e Arqueologia, 1987.

COSTA, Francisco Barbosa da; Memórias Paroquiais de Vila Nova de Gaia, Vila Nova de Gaia, Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, 1984.

. Efeméride do século passado relacionada com o Senhor do Triunfo de Arnelas, In: Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia. - Vol. 2, nº 12 (Maio, 1982), p. 60-61 : 3 il.

GONÇALVES, Álvaro Pinto; Nasci à beira do rio, Vila Nova de Gaia, Afonseiro Edições, 1986.

. PACHECO, Hélder; O Grande Porto, Lisboa, Editorial Presença, 1986.

. NOGUEIRA, Isabel Maria Correia, ROCHA, Rosa Maria Alves; CARVALHO, Luís Lopes Teixeira de; Esboço monográfico de Santa Maria de Olival, Vila Nova de Gaia, Junta de Freguesia de Olival, 1984.

. Rancho Regional de Gulpilhares. Vida e obra. Recordações e usos e costumes da nossa terra 1936-1986. Vila Nova de Gaia, 1985.

. SILVA, Moreira da; Arnelas : a mais linda varanda sobre o rio Douro, In: Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia. - Vol. 1, nº 9 (Out., 1980), p. 48-51 : il.